Pesquisar este blog

sábado, 19 de agosto de 2017

Ser ou não Ser


"Ser ou não ser... Eis a questão. 
Que é mais nobre para a alma: suportar os dardos e arremessos do fado sempre adverso, ou armar-se contra um mar de desventuras e dar-lhes fim tentando resistir-lhes?
Morrer... dormir... mais nada... 
Imaginar que um sono põe remate aos sofrimentos do coração e aos golpes infinitos que constituem a natural herança da carne, é solução para almejar-se. 
Morrer.., dormir

William Shakespeare."

                                                                    



Diante da pergunta: - É preciso ser um cretino para ser um líder?
Eu respondo: - Sim, mas o grupo liderado não precisa saber disso, isso os desestimularia.

Partindo da alegação que ser legal só faz com que as pessoa pensem que tu é algum animal de tração e sigam te usando desta maneira, infelizmente, não há outro caminho que não seja dissimuladamente sacanear tudo e todos.

Eu nunca conheci um líder realmente legal, conheci maravilhosos e estimulantes líderes excelentes oradores e formadores e opinião que exerciam suas técnicas em benefício próprio e se auto intitulavam líderes enquanto um maravilhoso grupo os seguiam.

É um jogo hipócrita sim, que vende muito bem a imagem de ser um benevolente líder, mas que age dissimuladamente nos bastidores (eu estive em alguns). O ser humano reage melhor à tapinhas nas costas e sorrisos brilhantes (destes de propaganda de creme dental), as ações pouco importam desde que hajam resultados.

Exemplo:
Nada melhor e mais estimulante para um grupo de alunos que seu mestre querido abrir uma votação para escolher o representante de turma. Mas o que é um representante de turma? AAhhhh, é o cara que leva as nossas reivindicações até a direção da escola. E o que a direção vai fazer com estas informações? Nada que não estiver dentro dos estatutos da escola.
- Ahhh, mas a escola nos ouve.
- Ouve sim, mas não significa que vão fazer o que vocês querem. Vão mandar o professor legal ir até à sala de aula sorrir pra vocês e dar tapinhas nas costas de todos, eles admitirão algumas mudanças, mas basicamente tudo ficará igual. Isso é ser cretino!

Quando você é um líder e precisa atingir uma meta, esta meta é sua, mas você a transfere ao seu grupo e par quem atingir a meta e superar é oferecido um liquidificador (exemplo), enquanto você ganha um carro, mas o grupo não precisa saber do carro, eles devem focar no liquidificador. Isso é ser cretino!

Se na manhã de hoje alguém lhe bombardeia com problemas que não lhe dizem respeito, tu baixa a cabeça, finge ouvir e ao final diz: Faz o que o teu coração mandar!... pronto, à tua frente estará uma pessoa confortável com seu problema, e tu foi um cretino!

Existem infinitos tópicos e maneira de ser bem dissimulado, mas existem várias perguntas:
- Você aguenta ser cretino por quanto tempo?
- Qual o limite da sua consciência?
- Você tem uma consciência?

Se você apenas se preocupa com a pessoa no espelho, parabéns! Você está apto para ser um cretino, do contrário... reveja seus conceitos. Reveja se está seguro em pagar o preço de ser cretino.

sábado, 5 de agosto de 2017

À Salvo


Houve um tempo em que ela corria pela floresta em chamas, lágrimas no rosto, roupas rasgadas e uma imensa ferida no peito.

E enquanto gritava para a noite 'Não me deixe sozinha!', 
a única coisa que ouviu foi o eco de suas palavras.

Tudo estava morto e acabado à sua volta, então fechou os olhos, o Sol estava se pondo, sabia que agora nada mais poderia machucá-la, seus olhos ficariam fechados até chegar a Luz da manhã, ou o que quer que isso significasse.

Enfim estava à salvo, enfim estava livre de toda dor, de toda lástima.

Já não importava mais o que a guerra devastara, ela apenas manteria os olhos fechados.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

O Ano Que Começa

O ano ainda vai começar e com esse lema você vai enfrentar facilmente qualquer desafio que precise. Você pode esperar por muitas horas maravilhosas pela frente e, até o final do ano conseguirá dizer que este lema lhe acompanhou com sucesso. Um pouquinho de motivação ajuda todo mundo!

Tenham um ano repleto de luz!!!






https://www.facebook.com/Os-Amores-que-a-Vida-me-Trouxe-e-Eu-n%C3%A3o-Pude-Viver-678715792222292/


sábado, 5 de novembro de 2016

Trabalhar o Desapego

Trabalhar o Desapego







Muitas vezes nos tornamos conscientes da escravidão emocional a que estamos sujeitos quando a nossa relação começa a desmoronar. Isso acontece quando uma pessoa nos fere, ou nos escraviza, ou ainda quando alguma coisa dentro de nós foi quebrada e temos que dizer adeus.

Nessas situações, nós sentimos que o mundo está desligado e uma onda de imensa dor, que está sobre nós, nos impede de respirar. Este é um sufocamento emocional e o seu ingrediente chave é a dependência emocional.

Mas, às vezes, é hora de se libertar do apego, do que nos obrigamos a sentir e, é hora de começar uma nova vida, rumo à liberdade emocional. E são estes os momentos nos quais não nos sentimos fortes o suficiente para não seguirmos de mãos dadas com essa pessoa, ou simplesmente com alguém que nos guie.

"Hoje eu deixo você livre. Hoje eu quero esquecer os meus medos. Hoje eu quero começar a me dar valor. Hoje eu seguirei em frente. Hoje deixarei você esperando."

A melhor maneira de ser feliz com alguém está em aprender a ser feliz sozinho. Por quê? Porque desta forma a companhia se ​​torna uma escolha e não uma necessidade...
Nós entendemos o amor erroneamente porque a chave não é o “eu preciso de você na minha vida”, mas o “eu prefiro você na minha vida.” Ignorar os sentimentos de posse e as necessidades de controle nos ajuda a viver em paz e liberdade com nós mesmos.

“Continuo mal e piorando um pouquinho, mas estou aprendendo a ficar só, e isso é uma vantagem e um pequeno triunfo”
Frida Kahlo



Sua verdadeira liberdade vem quando você começa a entender quem você é e o que você é capaz de fazer. É a sua independência, o cobiçado troféu, que começa quando você se desapega, quando você se livra de suas amarras e olha para a frente, sem precisar de alguém para pegá-la pela mão.

Não ter e não possuir é a melhor experiência que podemos ter de liberdade. O apego a algo significa, de alguma forma, ter que conviver com a escravidão.
Nossa dependência e nosso apego nos tornam escravos, especialmente se a nossa autoestima depende de algo ou alguém. A necessidade de elogios, de carinho ou de atenção faz com que alguém se torne dono do nosso destino.




Não são os outros que nos prejudicam, mas sim nós mesmos quando validamos as opiniões e ações dos outros. Ninguém pode machucá-lo sem o seu consentimento interior, o lugar que deve ser o pilar que suporta a sua arquitetura emocional.

Assim, a autoconfiança e autoestima são sempre as melhores ferramentas para dizer adeus aos vícios desnecessários que prejudicam a nossa vitalidade e o nosso desejo de alcançar a realização pessoal.

Temos de ser os primeiros a nos respeitarmos, deixando de lado as expectativas aprendidas sobre o que nos disseram, que só somos amados se precisam de nós, e que o amor só é amor se vivermos por e para ele.




domingo, 18 de setembro de 2016



"Inteira demais para ser metade de alguém, eu só sei transbordar."

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Tempestades da Alma




Sobre o dia de hoje

"O destino sussura: "Você não vai aguentar a tempestade.'
O Guerreiro responde: 'Eu sou a tempestade!'

(Paulo Coelho)




sábado, 10 de setembro de 2016

Era uma Vez

Era uma vez um príncipe e uma prin..., não, era uma camponesa, eles se conheceram por acaso, e depois do primeiro dia que se viram nunca mais conseguiram ficar longe um do outro... também não, o príncipe apaixonou-se sim pela camponesa e ela por ele, eles eram felizes juntos afinal de contas, amavam-se, ele a via com frequência, e ela o esperava todos os dias, ele ia todos os dias, até que faltou um dia, por motivos de ser príncipe e ter as suas obrigações, ela entendia.



O amor continuava lindo, ela continuava esperando, ele ia sempre "que podia", e em uma tarde linda e ensolarada toda a comitiva real passou por sua vila, inclusive seu amado príncipe, que sequer a olhou, ela entendeu, era apenas uma camponesa.

Seguiu-se o tempo, seguiram-se as festas, banquetes, bailes, ela aprendeu a portar-se bem, caso ele resolvesse por convidá-la à algum baile, ele não convidou, ela esperou, esperou, e entendeu...

Chorou, sofreu, e foi embora, nada mais ali fazia sentido, seguiu sua vida na floresta, encontrou os mestres que lhe ensinaram a Velha Arte, que ela de bom grado aceitou aprender, e voltou para dar ao agora rei um presente.


Ele não a reconheceu e aceitou o presente que ela descreveu como "a gota da felicidade", e explicou: pingue em seus olhos meu Senhor e verá toda a felicidade em sua vida. O rei assim o fez, mas o que ele viu foi doloroso e lindo ao mesmo tempo, ele via a camponesa que há anos ele havia deixado para trás, agradeceu a bruxa e foi ao encontro de seu verdadeiro amor, que não estava mais lá, há muito havia partido, nada mais restava lá, apenas lembranças, mais nada.


E seguiram suas vidas, resignados com os erros do passado, ela com a sensação de dever cumprido por ter amado tudo que sabia amar. Ele com a sensação de ter cometido um erro estranho por não ter amada tudo que poderia ter amado.